A consolidação de tecnologias nas sementes e o reflexo na agricultura brasileira

O estudo Business Intelligence Panel (BIP), da Spark Inteligência Estratégica, revela a consolidação do uso de biotecnologias na cultura da soja por parte do produtor. Além disso, o surgimento de novos recursos do gênero impulsionou o crescimento do mercado de sementes de soja para R$ 15,593 bilhões na safra 2020/21. Isso representa uma elevação de 40% se comparado com a safra anterior – R$ 11,162 bilhões. Conforme o estudo, sementes com ‘Bt’ chegaram a 81% das áreas cultivadas e as RRs, 99% das áreas.

Na safra 2014/15, por exemplo, as sementes Bt ocupavam 6 milhões de hectares ou 20% da área plantada da oleaginosa. Na safra 20/21, essas tecnologias preencheram 30,6 milhões de hectares, alta acumulada de 400%.

Com isso, houve um impacto no emprego de defensivos agrícolas para o controle de lagartas. No ciclo 2014/15, o controle de lagartas da soja demandou 64% da movimentação de inseticidas foliares, cerca de US$ 1,3 bilhão. Atualmente, esses produtos equivalem a 28% do segmento – US$ 422 milhões.

 

 

Outros dados e informações relevantes do estudo

  • As sementes do tipo RR também avançam em ritmo acelerado. Tiveram adoção de mais de 90% nas últimas sete safras e ocuparam 99% dos cultivos no ciclo 2020/21
  • Biotecnologias que têm chegado ao mercado ampliam o espectro de controle de lagartas e flexibilizam a utilização de herbicidas diferentes
  • Isso tem contribuído para o aumento da produtividade média da soja brasileira

 

*Este estudo entrevistou quase quatro mil agricultores das principais regiões produtoras.

Fale conosco!

(55) 9.9707-0909 | contato@oagro.com.br

Deixe uma resposta