Sementeira, qual o seu maior desafio no atendimento de reclamações?

Conhecer as principais limitações que podem acometer o desenvolvimento da soja é a base para os profissionais realizarem um correto atendimento de reclamações na etapa de emergência das plantas e ao longo do ciclo. Nesse processo, compreender as necessidades de uma semente, desde a semeadura até o final da safra é indispensável. Conforme o engenheiro-agrônomo e doutor em Sementes Alexandre Gazolla, que é autoridade neste assunto, diversas pesquisas apontam que aproximadamente 50% das limitações na emergência e na fase inicial de desenvolvimento da planta estão relacionadas à baixa qualidade das sementes utilizadas. “Me refiro à qualidade física, fisiológica, genética e sanitária. Os demais 50% podem ser associados a limitações nas técnicas de manejo e implantação dos campos”, esclarece Gazolla.

Conforme o agrônomo, os profissionais que atuam no setor de atendimento de reclamações devem ter a rotina aliada aos ambientes de produção. Com isso, segundo ele, é possível identificar se há problemas nas sementes produzidas e que vão ao campo ou se as limitações maiores estão nas lavouras, devido ao manejo de solo e outros detalhes. “É muito importante que eles entendam com precisão as variáveis ambientais e outros aspectos que interferem no estabelecimento da cultura, precisam ter domínio técnico para avaliar desde a produção dessa semente, o transporte, o processamento, bem como em qual condições esta foi semeada. Tudo isso necessita de um alto nível de tecnificação e conhecimento, essencial para a agricultura atual”, salienta.

Outro ponto importante e que deve ser considerado nesse processo é a agilidade nesse atendimento. A renda do produtor depende da produtividade que ele vai ter na safra e a sementeira ou revenda do êxito que o produtor vai ter no decorrer do ciclo. Então, o problema precisa ser resolvido em um curto período de tempo e de forma eficaz, sem deixar margem para acumular outros problemas. Todos precisam ganhar nesse processo, porque é uma cadeia interligada, é como uma engrenagem. Com isso, trocar planilhas em papel por soluções tecnológicas tornam isso tudo mais eficaz. Um protocolo de atendimento organizado, profissionais qualificados e agilidade na resolução é o combo indispensável para um bom atendimento e para o fortalecimento da marca de uma empresa no mercado de sementes, bem como de toda a cadeia produtiva.

E quais itens são indispensáveis em um protocolo de atendimento as reclamações e acompanhamento de pós-venda? O agrônomo Alexandre Gazolla elenca alguns:

  • Onde a semente ficou armazenada até a semeadura?
  • Qual a temperatura e a umidade relativa do armazém?
  • Choveu entre a semeadura/emergência?
  • Quantos milímetros de precipitação?
  • Qual o sistema de distribuição da semeadora?
  • É feito TSI ou tratamento na fazenda?

Quer saber mais sobre o assunto?

Mande suas dúvidas para o WhatsApp (55) 9.9707-0909 ou para o e-mail contato@oagro.com.br!

Deixe uma resposta