Soja: preparado para uma super-safra?

Estamos na expectativa de um novo recorde para a produção brasileira de soja. O economista e analista Luiz Fernando Gutierrez Roque, da SAFRAS & Mercado, adianta que os levantamentos iniciais da consultoria apontam para um aumento na área semeada no Brasil na safra 2020/2021, o que resulta para um novo potencial recorde para o país. Um quadro positivo no que se refere aos preços e a demanda crescente pela oleaginosa são fatores que sustentam esta projeção. “A previsão inicial é de uma safra de 131,691 milhões de toneladas, 5,4% maior que o recorde de 124,913 milhões obtido nesta temporada”, ressalta Roque. E você, como pretende aproveitar este momento de projeções otimistas para alavancar o seu negócio?

Intenção de plantio de soja - Safra 2020/2021

No Sul: as fortes perdas registradas no Rio Grande do Sul na safra 2019/20 naturalmente diminuíram a capitalização dos produtores. Frente a isso, a área gaúcha deverá crescer em um ritmo mais lento, com os produtores atentos também com a possibilidade da chegada de um novo La Niña.

No Centro-oeste e no Sudoeste: Permanece a tendência de centralização da produção da safra de verão sobre a soja, com os produtores reservando mais áreas ao milho para a safrinha.

No Norte e Nordeste: o avanço da área de soja deverá ocorrer principalmente sobre pastagens degradas e aberturas de novas áreas, com destaque para o Estado do Pará. A consolidação das exportações pelos portos do Arco Norte também surge como incentivo para os produtores da região.

Fonte: SAFRAS & Mercado. Conteúdo disponível na edição Setembro/Outubro da Revista Novo Rural (clique aqui para acessar)

Safra gaúcha de verão poderá ser a segunda maior do Estado, aponta Emater/RS

Depois de severa estiagem, a agricultura gaúcha se recupera. É o que aponta a primeira Estimativa da Safra de Verão 2020/2021 da Emater/RS-Ascar, conveniada da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr). O levantamento indica a segunda maior safra gaúcha da história.

Em área total de 7,8 milhões de hectares (1,8% superior ao período anterior), deverá haver produção 40,2% maior do que a safra passada, alcançando 32,5 milhões de toneladas dos principais grãos de verão (soja, milho, arroz e feijão). A maior safra do Estado foi em 2017, com mais de 33,6 milhões de toneladas de grãos colhidos.

#DicaOAgro: Planejamento por Alexandre Gazolla

O engenheiro-agrônomo e doutor em Sementes Alexandre Gazolla orienta como conciliar produtividade, custos de produção e rentabilidade na safra de verão que se aproxima, tendo em vista que a rotina de planejamento, aquisição de insumos, equipamentos e tecnologias para a safra 20/21 está em pleno vapor. Entre os principais desafios está a otimização dos custos de produção e o aumento da rentabilidade final líquida das atividades.

Esta preocupação não faz parte somente da rotina dos técnicos e agricultores relacionados a produção de grãos, mas de todos os envolvidos nos diversos segmentos e atividades associadas aos sistemas de produção agropecuários.

Neste momento é fundamental contabilizar os investimentos e a rentabilidade em cada atividade, sempre correlacionado com as safras anteriores da fazenda, com a finalidade de estabelecer um check-list das atividades que são indispensáveis para aumentar o desempenho da propriedade.

É importante que o agricultor transforme a maneira de projetar a sua safra. Em diversas oportunidades a maior preocupação é obter altos rendimentos e somente após a colheita se verifica a margem. O ideal é pensar de forma sistêmica, analisando diferentes cenários de produtividade e rentabilidade.

Tecnologia pode ser uma grande aliada neste momento

Contar com auxílio de soluções tecnológicas eficientes e seguras pode otimizar custos da produção e agregar valor ao seu produto. Esta, inclusive, é uma das grandes apostas do mercado sementeiro para se destacar no mercado.

Conheça o Sementes Rastreadas (clique aqui)
Conheça o SR || Campo (clique aqui)

Principais práticas de manejo e gestão:

  • Auxilio de soluções tecnológicas eficientes e seguras
  • Escolha dos fornecedores de insumos
  • Definição de espécies, cultivares e ciclo de produção
  • Planejamento de semeadura e aplicação de herbicidas
  • Manejo de pré-semeadura
  • Avaliar a necessidade de empréstimos para custeio da lavoura
  • Gestão dos custos fixos e variáveis associados a atividade
  • Compra antecipada de insumos
  • Negociação antecipada da produção através de contratos futuros ou similares
  • Tendência dos preços e variações da “taxa de câmbio”
  • Previsões climáticas para a região
  • Participação em feiras agrícolas e eventos na busca por novas tecnologias e técnicas de manejo
  • Interação com agricultores que estão colhendo mais com mais rentabilidade

Deixe uma resposta